Como escolher um Skate | DECATHLON

Como escolher um skate adequado?

Praticar skate requer um determinado domínio do próprio corpo, equilíbrio e perserverança. Para deslizar de forma totalmente segura, é essencial evoluir ao seu ritmo sem querer saltar algumas etapas de aprendizagem. Este manual de conselhos fornece todas as informações necessárias para orientá-lo para o skate adequado consoante a sua idade e o seu nível de deslize.

Skate para principiantes Topo da página

A partir dos 4 anos, as crianças começam a apreciar a prática de skate, na posição sentada ou em pé.
Para um deslize seguro, é preferível escolher um material concebido para principiantes para usufruir ao máximo das sensações proporcionadas por esta prancha de 4 rodas. 
Para garantir a segurança do seu filho, os skates de nível iniciação possuem uma plataforma larga, trucks sólidos para este nível de prática, rodas em plástico e rolamentos com baixa velocidade de rotação para evitar acelerações excessivas.

Skate para praticantes no nível intermédio Topo da página

Quando dominar os aspetos básicos da prática, a travagem e as curvas, poderá iniciar-se nas figuras de base de skate.
A partir do momento em que sabe deslizar corretamente, será necessário mudar para um material mais resistente. Um skate destinado a praticantes de nível intermédio permitirá, desta forma, introduzir os seus primeiros "truques" como o ollie, o 180º ou o shove-it...

Skate para melhorar o desempenho Topo da página

Agora domina as figuras essenciais: kickflip, heelflip, 180° front e back, pop shove-it, etc. Após alcançar este nível de prática, é importante passar para um material adaptado e suficientemente rígido para suportar impactos sofridos pela sua prancha em buracos grandes, bordas ou rails.

Será pois necessário mudar para uma prancha mais larga para assegurar boas receções e mais conforto, rolamentos ABEC 5 no mínimo, rodas adaptadas ao seu tipo de prática (ver léxico), bem como trucks robustos.
Com este tipo de material, poderá deslizar no parque, nos bowls, nas rampas ou simplesmente na rua, sem preocupações.

Compreender melhor o seu skate Topo da página

Caso se inicie no skateboard, poderá ter alguma dificuldade em compreender alguns termos técnicos.

• O Grip: Folha semelhante a lixa que permite ter uma boa aderência para efetuar algumas figuras. É esta parte que é responsável pelo desgaste rápido do calçado.

• Os trucks: A ligação entre a prancha e as rodas. São geralmente em alumínio. O aperto do truck permite determinar a forma de prática de skate (rígida ou flexível).

• A Plataforma (composição da prancha): Pode ser composta por ácer canadiano (o mais eficaz), uma mistura entre ácer canadiano e outras madeiras ou outras madeiras ainda.

• A Plataforma (forma/shape da prancha): Referimo-nos em primeiro lugar à sua largura, seguido pela sua curvatura e pelo seu comprimento. As dimensões são indicadas em polegadas (1 polegada = 1" = 2,54 cm). 
A parte dianteira da prancha é designada por nose (a palavra inglesa para "nariz") e a parte traseira da prancha é designada por tail (proveniente do termo inglês que significa "cauda").

• Os rolamentos: São necessários 8 rolamentos para um skate (2 por roda).
A sua precisão e fluidez são classificadas segundo a norma ABEC (de 1 a  9).
ABEC 1: simples e pouco precisos, muito acessíveis.
ABEC 3: excelente resistência, mas conforto e rapidez limitados.
ABEC 5: o mais polivalente, pois é o rolamento clássico para o skate. 
ABEC 7: muito rápidos e agradáveis na utilização, ideais para deslocações.
ABEC 9: extremamente rápidos, utilizados sobretudo em descidas.
Para uma prática " street " e skatepark, os rolamentos são sujeitos a impactos e tensões em todos os ângulos. Neste caso, a rapidez torna-se num factor secundário e serão utilizados sobretudo ABEC 3 e 5.
Para a rampa e o bowl, poderá utilizar-se rolamentos ABEC 7.

• A roda: Consoante a utilização do skate, as rodas terão formas, dimensões e durações diferentes.

No skate moderno utiliza-se geralmente rodas com uma dureza que varia entre 92A (muito flexível) a índices superiores a 101A (mais rígidas). 
Roda rígida: rápida e resistente, desliza melhor, mas transmite muitas vibrações. 
Roda mais mole: aderência e conforto perante as irregularidades do piso.
O skate técnico utiliza muitas figuras que terminam com deslize: as rodas rígidas serão uma mais-valia. Em contrapartida, a deslocação será muito desagradável (vibrações, ruído...).
As rodas mais moles permitirão deslizar melhor, mas a sua aderência dificultará a realização de algumas figuras (rodas mais pegajosas)